Orçamento gratuito online!

Postado em: 22/08/2018 09:33:00 por Equipe ConsertaSmart


Um estudo recente conduzido pela Vanderbuilt University mostrou que celulares movidos a Android enviam até 10 vezes mais dados de usuários do que os aparelhos com iOS. De acordo com os testes realizados pelo professor Douglas Schmidt, um aparelho Android ocioso rodando o sistema operacional mobile remete informações de geolocalização (baseadas no GPS) à Google cerca de 340 vezes por dia — uma média de 14 envios por hora.

A pesquisa menciona ainda que envios de localização respondem por aproximadamente 35% de todo o tráfego da Google. No caso do navegador Chrome, essa taxa chega a ser 50 vezes superior à de um iPhone rodando o browser Safari — cujo compartilhamento de dados com a Google ocorre apenas mediante ativação direta do usuário, conforme apontou Schmidt.

De fato, a Google reconheceu na semana passada que o histórico de localizações dos usuários do Android são enviados aos seus servidores mesmo com a opção desabilitada. Para efetivamente cortar o compartilhamento, o usuário precisa alterar as configurações na guita “Web and App Activity”.

Processo por “intromissão”

A Google é atualmente alvo de um processo por conta do envio inadvertido de dados de geolocalização. A ação foi movida por um sujeito na cidade de San Diego (Califórnia, EUA), após o homem descobrir que seu celular continuava compartilhando sua localização mesmo depois de desabilitado o histórico, o que foi considerada uma “intromissão altamente ofensiva para qualquer pessoa razoável”.

 

Posteriormente, a companhia atualizou seus documentos de suporte com um passo a passo detalhado que explicava como desativar permanentemente o envio — dessa vez, deixando claro que a opção não afetaria outros serviços relacionados à localização e também avisando que alguns dados continuariam a ser salvos no aparelho.

De qualquer forma, vale lembrar que os modelos de negócios da Apple e da Google são consideravelmente distintos no que se refere à geração de receita. Enquanto a Maçã tem seu principal quinhão na comercialização de hardware, a Google depende principalmente de sua receita com anúncios. Não obstante, isso jamais impediu que a Apple convertesse as discrepâncias no volume de coletas de dados dos usuários em bandeira de marketing.

 

 

A recent study conducted by Vanderbuilt University has been released for Android up to 10 times more user data than iOS handsets. According to tests conducted by Professor Douglas Schmidt, an Android device moved the mobile operating system submits information from videos (roughly on GPS) to about 340 times a day - an average of 14 submissions per hour.

The survey also noted that search sites were found by approximately 35% of all Google traffic. Google Chrome, this rate comes to be superior to the iPhone running the Safari browser - with sharing data with Google around only through direct user verification, as pointed out by Schmidt.

In fact, a Google application was published last week for Android users history and was sent to their servers with the same option. For the use of Web applications and App Activity.

Process for "intrusion"

Google is currently targeting the process of inadvertently sending segment data. The suit was moved by a guy in the city of San Diego, California, after the man who is continuing to share his location even after disabling the story, which was applied to a "highly offensive intrusion to any reasonable person ".

Afterwards, a company updated its support documents with a step by step that explained the same permanently the sending - this time, it was clear that an option would not affect other services related to the location and also warning that some data would continue to be saved in the device.

Anyway, it's worth remembering that the business models of Apple and Google are considerably different, without reference to revenue generation. While the company has its main business of hardware marketing, the. Nevertheless, this does not prevent Apple to convert as discrepancies in the volume of user data collections in the marketing banner.

 

 

 



Excelência em reparo de aparelhos eletrônicos. 400 Lojas em mais de 3 países.

Responsabilidade Social

A Rede Conserta Smart é comprometida com a melhoria do meio ambiente e o consumo responsável. Prolongue a vida útil de seus equipamentos ao invés de descartá-los.


A rede utiliza sistemas e processos online, objetivando transparência na execução de serviços. Todos os cursos e treinamentos são certificados para garantir total qualidade no atendimento ao cliente.


Quem pode abrir uma ConsertaSmart?

Qualquer pessoa empreendedora, não exigimos um perfil técnico. Conheça nossa Franquia. Conhecer mais...


Imprensa

Somos a maior referência em conserto de celulares na América Latina. Fornecemos relatórios e dados de mercado. Email: [email protected]

Orçamento rápido

Não, obrigado (x)