Orçamento gratuito online!

Postado em: 27/11/2018 10:01:00 por Equipe ConsertaSmart


A Samsung continua a líder do mercado global de smartphones, mesmo com uma queda de 13% no envio de aparelhos às lojas de todo o mundo. No terceiro trimestre deste ano, foram 72,2 milhões de unidades disponibilizadas nas prateleiras, um total acima do registrado no período anterior, mas bem abaixo do que foi visto há um ano.

Os dados referentes ao período entre julho e setembro de 2018 são da Counterpoint Research, consultoria que, tradicionalmente, libera números relacionados ao setor. De acordo com a companhia, em 2017, a Samsung acumulava uma fatia de 21% do setor, enquanto a competição com nomes chineses, desde então, vem derrubando essa parcela a cada trimestre, o que nos leva aos atuais 19% de domínio.

A queda na disponibilidade de aparelhos pela Samsung também foi menor do que a baixa no mercado como um todo, com o setor de smartphones tendo um declínio de 5% entre julho e setembro. O principal responsável, aqui, foi a China, com a região normalmente promissora apresentando baixa nas vendas pelo quinto trimestre consecutivo.

Enquanto as gigantes caem, as menores crescem de maneira incrivelmente acelerada. A Huawei viu um crescimento de impressionantes 33% no último trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, capturando 14% do mercado global e colocando 53,2 milhões de aparelhos nas prateleiras. É ela quem está na segunda posição, tendo ultrapassado a Apple, apesar de o relatório unir os dispositivos da própria marca e, também, aqueles lançados pela Honor, o que pode causar certa distorção nos números.

Em um terceiro lugar sem alterações nos números está a Apple, que permaneceu com uma fatia de 12% do mercado. Em um momento no qual muito se fala em baixa nas vendas de iPhones e perspectivas negativas para o ano que vem, os analistas viram como uma vitória o fato de a parcela de mercado da Maçã ter se mantido inalterada. A ideia, porém, é que essa estabilidade não deve se manter daqui para o final do ano.

Por fim, completando o top 5 das maiores fabricantes do mundo, estão Oppo e Xiaomi, empatadas com 9% do mercado cada uma. Abaixo do ranking estão a Vivo, com 8%, e a Lenovo, com 3%, enquanto a parcela de “Outras” representa 26% do setor. Aqui, estão inclusas todas as fabricantes nanicas de smartphones, novamente, com atuação principalmente na China e grande tração entre o público de médio e pequeno porte. Por mais que os números individuais sejam pequenos, a somatória é bastante considerável e apetitosa, principalmente, para as maiores empresas.

Uma mão lava a outra

Enquanto a situação em terras chinesas está complicada e os números gerais demonstram baixa, não é como se a Samsung estivesse em maus lençóis. Pelo contrário, no terceiro trimestre de 2018, a empresa pode comemorar a manutenção de sua posição no topo do pódio pelo segundo período consecutivo, depois de ter perdido o posto para a Xiaomi no início deste ano.

Além disso, a marca coreana também manteve sua posição como maior nome do mercado de smartphones em outros dois mercados importantes, a Europa e a América Latina, onde mantém parcelas de, respectivamente, 31% e 37%. Na África, ela também domina, com 25% de todo o setor. São números que, afirmam os especialistas, ajudam a marca a não tremer nas bases diante das pressões vindas da China, onde boa parte das fabricantes brigam de foice no que já se torna um dos territórios mais competitivos e desafiantes do mundo.

 

-

 

Samsung continues to be the world leader in smartphones, with a 13% drop in handset shipments worldwide. In the third quarter of this year, there were 72.2 nights of units made available on the shelves, a total higher than the previous period, but much lower than what was seen a year ago.

The researches are in contradiction between July and September of 2018, in the research counterpoint, consulting that, traditionally, are distributed to the sector. According to the company, in 2017, Samsung buys a 21% share of the sector, while a Chinese with interest, is then launching every quarter, which brings us to the current 19% domain.

The fall in availability of handsets by Samsung was also less than 5% between July and September. The main culprit here was China, with an organization normally promising to offer the prize in sales for the fifth consecutive quarter.

As they fall, the children grow incredibly fast. Huawei saw an impressive 33% growth in the global market and 53.2 million handsets on the shelves. Apple is in second position, having surpassed Apple, despite having published its best results of the category and also, those released by Honor.

In a third place without changes in the graphics is an apple, which remained with a slice of 12% of the market. In a moment not unlike the sales of iPhones and the negative outlook for next year, analysts saw as a victory the fact that a portion of the apple market have been unchanged. The idea, however, is that it is not visible for the end of the year.

Finally, completing the top 5 of the largest companies in the world, there is Oppo and Xiaomi, tied with 9% of the market each. Below the ranking are Vivo, with 8%, and Lenovo, with 3%, while the "Other" share represents 26% of the sector. Here, the inclusions all the smartphone brands nanicas, with particular emphasis on China and wide variety among the medium and small public. No matter how small the individuals, the sum is quite large and appetizing, especially for the largest companies.

While the situation on Chinese soil is complicated and the overall numbers show low, it is not as if Samsung was in bad shape. On the contrary, in the third quarter of 2018, the company can celebrate maintaining its position at the top of the podium for the second consecutive period, having lost the position to Xiaomi earlier this year.

In addition, the Korean brand also maintained its position as the biggest name in the smartphone market in two other major markets, Europe and Latin America, where it holds parcels of respectively 31% and 37%. In Africa, it also dominates, with 25% of the whole sector. These are numbers that, experts say, help the brand not shake its footing in the face of pressures from China, where most manufacturers are scamming what has already become one of the most competitive and challenging territories in the world.


https://canaltech.com.br/smartphone/samsung-continua-lider-do-mercado-mobile-mas-tem-queda-de-13-127673/

Excelência em reparo de aparelhos eletrônicos. Mais de 370 unidades em mais de 3 países.

Responsabilidade Social

A Rede Conserta Smart é comprometida com a melhoria do meio ambiente e o consumo responsável. Prolongue a vida útil de seus equipamentos ao invés de descartá-los.


A rede utiliza sistemas e processos online, objetivando transparência na execução de serviços. Todos os cursos e treinamentos são certificados para garantir total qualidade no atendimento ao cliente.


Quem pode abrir uma ConsertaSmart?

Qualquer pessoa empreendedora, não exigimos um perfil técnico. Conheça nossa Franquia. Conhecer mais...


Imprensa

Somos a maior referência em conserto de celulares na América Latina. Fornecemos relatórios e dados de mercado. Email: [email protected]

Orçamento rápido

Não, obrigado (x)